Inside my…

Rhymes with vibes

Month: July, 2015

Around my neck

Suffocate
by my own hands
around my neck
difficult to breathe
fake smile
to make you look to my mouth
to disguise my rotten inner self
until i can stab my soul
watch me slowly die
happy cuz you dont cry
i fooled you
So many lies
i don’t remember the last time
that i live without asking why
the truth it’s so bitter
and killing me inside
Advertisements

Hate me

Hope
After
This
Empty

Mensage
Ends

Burn my eyes

My eyes
Are tearing out
Blood tears of guiltless
Who can point tha finger
And point to my face?
Supposedly envy
Feeded by angry
Overdose to my enemies
Sure, they still believe in
Lies told by
The evil within

maybe it’s my last chance

somebody please say
this pain will finally end
please make me understand
all this suffering have sense
maybe it’s my last chance
to stand up and fight like man
but a coward never shows his hands
he quietly stay in the shadows waiting for the moment
to give a stab by the back
i’m a coward or a man?
i’m going to the light
or staying at the shadows?

Hope already died

Feelings
Broken like things
Betrayed by my sins
Karma
Cut off my chest
Pull out my heart
Live feeded by a fucking drama
Constantly worse
Bad feelings, worst
Hope already died
Don’t get me wrong
But some days are just like a no end nightmare
How to wake up
When you already live in a coma?

Call of…

I think it’s a heavy rain outside, with lightning illuminating every room of this strange house, however, very comfortable.Relieving the pain of my feet on a carpet, these plush that seem to embrace our feet to the point of hiding them and hide the signs of bruises on my heel and foot. Everyone drinks what appears to be wine, causing a strong redness in your face, even in the face of a black I’ve never seen, that by the way, looks pretty concerned about what is to happen, asking me if it’s something good, if It can be a good thing for the rest of your life. I stop trying to recognize the faces, seek help for my desires, and I see two people familiar, but I can not call them “friends” enough to share the anxieties and fears I have about what will happen. I get a message that a particular person will not attend, but we were in a good number – Thirteen people, and I had told only eight in the room where I was – and all tend to do well. The songs begin and I think it’s the beginning of the ritual as well will look like, although it is with a feeling that something will go wrong. A door “appears” after removing a large table where this painting of a colorful and shapeless mass, which seems to carry with it a flute, the chaos of colors is disturbing, chills my spine too look at this picture, and door, I hear noises, such as the seabed, and something that seems to have unimaginable proportions is fighting to get through the door. Some of the people, and now yes I see all seem fearful, despite the laughter and shouts of celebration, as if we were close to a divine creature, about to witness something inhuman proportions. The door creaks as if long time were not open, and shows something I can not describe in words, taking into account that such a storm out there because the storm is actually something like the bottom of the sea, agitated and heavy, where only the strongest thunder seem to achieve this depth where we are. Amid screams, that now do not know well set up with fear or hysteria, a black boy, deep eyes and scrawny neck, approaches the door, as our spokesman, and question the creature, this wrapped tentacles and with giant bat wings, could have access to health, would have access to the wisdom of the great masters, he can become a master, have followers and praise closer to the gods, thus becoming a similar creature that not all, They dared to look into the eyes, if such a creature really had eyes.

– I ask you the knowledge occult to humans, overlooked by the holders of the sacred word, I pray thee wandering the protection of divine, beloved Cthulhu.

Cthulhu … could not help but i look … Lift my head and I realize where I am, where I could get such insanity such participation.

I notice that the robe I wear is made of leather, I believe cowhide, at least I hope so … I feel blood flow through my pores, my wrists are cut and possibly soon perish due to blood loss, but I know everything has some sense and go close to the young black man, trying not to stare at the creature, which looks like a ruminating thoughts own language, language that mixes grunts and unpronounceable syllables for any human language that seems to be sung in my head because I feel the need to ask why I want to jump out the door to the unknown, to the end, for a new beginning which can be something much worse to wait for the final embrace of death caused by loss of blood. Amid cries and screams all heard that for absolute knowledge, sacrifices must be made, whether physical, mental or spiritual. The young man believed to be prepared for such a sacrifice, though already well anemic due to loss of blood, which in his case runs from the neck, through the hands that have deep holes, something that looks like a stinger still located on the palms . I believe that the feet are also well bruises, as he steps which is a considerable pool of blood, but this, quite dirty blood, “chips” that appear green bark tree. This black guy, then runs toward the creature, this one wrapped tentacles departs, showing its ugly face, but without opening his eyes, let the young be embraced by clouds, as these storms. Disturbed, just close the door, and left everything ready for the next invocation …

I wake up, should be too early, but curiously, I smell a rotten smell of water, these full of dirt …

Dream of last night, despite the extremely fanciful story, everything seemed all too real.

BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR BR

Eu acho que é uma forte chuva que cai fora, com relâmpagos iluminando cada quarto desta estranha casa, que no entanto, parece muito confortável. Relaxo a dor dos meus pés sobre um tapete, destes aveludados que parecem abraçar nossos pés até o ponto de escondê-los, esconder os hematomas em meu calcanhar e pé. Todo mundo bebe o que parece ser vinho, causando um forte rubor em seus rostos, mesmo no rosto de um negro que eu nunca vi, que por sinal, parece muito preocupado com o que está para acontecer, me perguntando se isso é algo bom, se isso pode ser uma coisa boa para o resto de sua vida. Eu paro de tentar reconhecer os rostos, procurar ajuda para os meus desejos, e eu vejo duas pessoas familiares, mas eu não posso chamar de “amigos” o suficiente para compartilhar as ansiedades e medos que tenho sobre o que vai acontecer. Eu recebo a mensagem que uma pessoa em particular não irá participar, mas estávamos em um bom número – Treze pessoas, e eu tinha visto apenas oito na sala onde eu estava – mas todos parecem fazer bem. Os cânticos começam e eu acho que é o início do ritual, embora seja com uma sensação de que algo ruim vai acontecer. Uma porta “surge” após a remoção de um grande quadro, onde tem a pintura de uma massa colorida e disforme, que parece levar com ele uma flauta, o caos de cores é perturbador, causam-me  calafrios na espinha olhar para este quadro, e da porta, ouço ruídos, tais como o fundo do mar, e algo que parece ter proporções inimagináveis ​​está lutando para passar pela porta. Algumas das pessoas, e agora sim eu vejo que todos parecem temerosos, apesar do riso e gritos de celebração, como se estivéssemos perto de uma criatura divina, prestes a testemunhar algo de proporções inumanas. A porta range como se muito tempo não fosse aberta, e mostra algo que não posso descrever em palavras, tendo em conta que há uma tempestade lá fora, porque esta tempestade é realmente algo parecido com o fundo do mar, agitado e pesado, onde apenas o mais forte trovão parecem atingir esta profundidade onde estamos. Em meio a gritos, que agora não sei bem definir se é medo ou histeria, um menino negro, de olhos profundos e pescoço esquelético, se aproxima da porta, como nosso porta-voz, e questiona a criatura, esta envolvida por tentáculos e com asas de morcego gigante, o negro questiona se poderia ter acesso a sanidade, se teria acesso a sabedoria dos grandes mestres, podendo ele se tornar um mestre, ter seguidores e louvar mais de perto os deuses, tornando-se assim um semelhante a criatura que todos não ousaram fitar os olhos, caso tal criatura realmente tivesse olhos.

– Peço-lhe o conhecimento oculto para os seres humanos, com vista para os titulares da palavra sagrada, peço-te que passeiam a protecção da divina, ó amado Cthulhu.

Cthulhu … não pude deixar de olhar … Levantei minha cabeça e eu percebo onde eu estou, onde minha insanidade me levou.

Eu noto que o manto que eu uso é feito de couro, acredito que couro de boi, pelo menos eu espero que sim … Eu sinto o sangue fluir dos meus poros, meus pulsos estão cortados e, possivelmente, em breve irei perecer devido à perda de sangue, mas eu sei que tudo tem algum sentido e vou para perto do jovem negro, tentando não olhar para a criatura, que se parece estar ruminando pensamentos em sua própria língua, língua que mistura grunhidos e sílabas impronunciáveis ​​para qualquer linguagem humana, que parece ser cantado na minha cabeça, porque eu sinto a necessidade de perguntar por que eu quero pular para fora da porta, para o desconhecido, até o fim, para um novo começo, que pode ser algo muito pior que esperar o abraço final da morte causada por perda de sangue. Em meio a choros e gritos todos ouviram que para o conhecimento absoluto, sacrifícios devem ser feitos, seja físico, mental ou espiritual. O jovem acredita estar preparado para tal sacrifício, embora já bem anêmica devido à perda de sangue, o que, no seu caso vem do pescoço, através das mãos que têm buracos profundos, algo que se parece com um ferrão localizado nas palmas de suas mãos . Eu acredito que os pés também estão machucados, pois onde ele pisa fica uma poça considerável de sangue, sangue sujo, lascas que aparecem casca de árvore verde. Este rapaz negro, então, corre na direção da criatura, esta que envolta de tentáculos se afasta, mostrando sua horrenda face, mas sem abrir os olhos, deixa o jovem ser abraçado por nuvens, como estas de tempestades.

Eu acordo, deve ser muito cedo, mas curiosamente, eu sinto cheiro de água podre, destas cheia de sujeira …

Sonho de ontem à noite, apesar da história extremamente fantasiosa, tudo parecia muito real.

Evil within

Heart broken
Wrong choice
Bad feelings
Time to lose
Without north
Always worse
Evil within
Damn curse
Rapped feelings
Angel without wings
Dead by my own hands

Enjoy my tomorrow

Empty bottle
Heart full of sorrow
Enjoy my tomorrow
Alone, holding my breath
Step by step
Walking inside my head
Maybe its better forget that
Stupid idea
Constantly repeated by my sins
“better you dead

Send me a sign

Silence
End
Nothing
Death

My
Enemy

Agony

Sorrow
Inside
Gets
Narrow

Connor McGregor – good for UFC, bad for us…

Who never met a bully? That sucker, that in his particular world is the king, and how well tyrant king, needed to show his sovereignty acting like a motherfucker against all weaker, but rarely with someone who could actually face. I’m not ashamed to say that I’ve been one of those suckers. I’m not ashamed, cuz everyone who i did some kind of evil I had the chance to apologize later. Anyway, this post is not about me, I used me as an example just to say that sometimes an idiot bully can regenerate, you can review your mistakes and become a less mediocre person. Well, that’s not the case for everyone, such as Connor “The Notorious” McGregor.
Some people get a lifetime to understand that they need to react, get up and enforce against the adversities of life. At one point in his life, Connor Mcgregor decided it was important to fight their problems. According to himself, after taking a beating because of a girlfriend, he saw the need to stand up and fight against all those who pointed his finger.
He began training Boxe, Capoeira, BJJ and it seems that he had found his paradise in the martial arts, including creating a very fluid fighting style, winning all his early fights of his career by knockout or submission. His last loss was to fellow Joseph Duffy at Cage Warriors, European event of MMA.
Unbeaten in five years, Connor McGregor seems to have forgotten the humility of the value of the times when it was beaten. Since his debuted in the UFC, the small Irish looks like a machine gun when it comes to talking shit and try to promote himself. It is not hard to find him talking some nonsenses about his future opponents will knock about when, how, he is the best of the world, he is a god on earth and deserves to be respected … well, shits that an idiot talks to maybe one day be heard by someone who can promote it and maybe reach the top of something. Unfortunately for the world and fortunately for the UFC, Connor McGregor made a great debut in a category where things went through charts. Jose Aldo had already cleaned the category of featherweight and their struggles have walked through stops, struggling below what had at the time of WEC – when he was elected 2013 Fighter of the Year – and being an exponent of the “good boy”, promoting their struggles with respect to opponents, something that does not always guarantee a good selling PPV or even popularity among fans.
Connor McGregor found in the category the best showcase event for their drivel and nonsense, targeting the champion of the category, in addition to not master the English language, does not seem to respond in kind.
The Irish imp made so far five UFC fights, which emerged victorious from all. He cashed in four of these fights with the award for “night performance”, but none of these opponents was part of the top 5 of category. NONE. In comparison, Ronaldo “Jacare” already faced two tops in his class and he still awaiting a chance to fight for the title. The case of Connor McGregor reminds me of the case of Bethe Correa, who also will have the opportunity to face their champion in her category without necessarily having fought the best opponents. It seems to me that now the UFC seems to need some “bullys” to promote the event, forgetting great fighters beyond example in the octagon and example were out for his respect for the opponent , like the best Canadian fighter of all time, George Saint Pierre, or even Anderson Silva, who only reacted when provoked, as in the case of another idiot who seems to have studied in the same school of McGregor idiocy, Mr. Sonnen. Some people seem born to talk more than they actually do. Sonnen challenged and was finished by Anderson Silva in the first fight and beaten like a dog on second fight. I twist plenty Bethe Correa, but I disagree with the statements she made to promote the fight and a shot at the belt.Who does not remember the Sonnen talking asshole would eat barbecue at the home of Anderson Silva and even give a slap on the ass of his wife? OK, for some people a “slap in the butt “can only be an expression of the will power of how the shit feels the environment in which this when we abuse our hospitality and using disrespectful towards their hosts. Bethe Correa unfortunately made some statements involving a possible desire to suicide by her opponent after the beating she will try to apply in their opponent – unfortunately she was unaware of the fact that the father of Ronda Rousey committed suicide and this generated a negative wave against the Brazilian fighter, causing further swoop with the current champion – and other offenses in scope more “Brazilian” could be counted as “only healthy provocation.” We all know that messing with the psychological somebody can bear fruit great effect, I do it right telling my stories in the RPG game or even the description of my songs, I need to somehow mess with the person I’m dealing with. The problem is that the “trash talk”, a term that is used to define this type of “fight promotion” is usually heavy, leading to tease it personally, offending families, offending even a country like the stupid declaration that Chael Sonnen did before fighting Anderson Silva – “I chose the medium carefully to talk about Brazil. I went to the internet. If I had the slightest idea that there are computers in Brazil, I would not have done it “- in short, the fact is that the trash talk works for the event which sees it as a way to create an expectation on the fight. Returning to Connor McGregor, he saw that his childish and ridiculous attitude the chance to skip some treads, reach the top of category in the UFC and get a chance to fight for the belt. No, I do not think Connor McGregor a bad fighter, on the contrary, irritates me the fact that he was so good and need to use trash talk to be noticed. It frustrates me to think that in today’s UFC is easier to be an idiot who talks shit than it be a different fighter and have a chance. For those who do not remember, the UFC has been much more “rough” with fighters who seemed to have left a bar going inside the octagon without gloves and with few rules, punching each other in exchange for a few bucks since the beginning UFC was not this gigantic machine, which according to some fighters, not yet paid that well, but the fact is that the UFC has undergone a professional, better prepared fighters, coming from MMA academies, with press accessor, photo shoots Professional, good sponsorship contracts. Why do we still need to see the idiot excel to hardworking?

PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT

Quem nunca conheceu um bully? Aquele otário, que no mundo particular dele é o rei, e como bom rei tirano, precisava mostrar sua soberania agindo feito um filho da puta contra todos os mais fracos, mas raramente com alguém que de fato pudesse encarar. Não tenho vergonha de dizer que já fui um desses otários. Não tenho vergonha, por que a todos que fiz algum tipo de mal eu tive a chance de me desculpar posteriormente. Enfim, essa postagem não é sobre mim, utilizei-me de exemplo apenas para dizer que as vezes um bully idiota pode se regenerar, pode rever seus erros e se tornar uma pessoa menos medíocre. Bom, não é o caso de todos, como por exemplo, Connor “The Notorious” Mcgregor.
Algumas pessoas apanham a vida toda para entender que precisam reagir, levantar e se impor contra as adversidades da vida. Em um determinado momento de sua vida, Connor Mcgregor resolveu que era importante lutar contra seus problemas. Segundo ele mesmo, depois de levar uma surra por conta de uma namorada, ele viu a necessidade de se levantar e lutar contra todos aqueles que lhe apontavam o dedo.
Começou a treinar Boxe, Capoeira, BJJ e parece que havia encontrado nas artes marciais seu paraíso, criando inclusive um estilo muito fluido de lutar, vencendo todas suas lutas de começo de sua carreira por nocaute ou finalização. Sua última derrota foi para o compatriota Joseph Duffy no Cage Warriors, evento europeu de MMA.
Invicto a cinco anos, Connor McGregor parece ter esquecido o valor da humildade dos tempos em que era surrado. Desde que estreou no UFC, o pequeno irlandês parece uma metralhadora quando o assunto é falar merda e tentar se promover as custas de ofensas e insanidades. Não é difícil encontrar ele falando alguma bobagem sobre seus futuros adversários, sobre quando irá nocautear, como, que ele é o melhor do mundo independente de rankings, que ele é um deus na terra e merece ser respeitado… enfim, merdas que um idiota fala para quem sabe um dia ser escutado por alguém que possa promove-lo e quem sabe atingir o topo de alguma coisa. Infelizmente para o mundo e felizmente para o UFC, Connor McGregor fez uma ótima estreia numa categoria onde as coisas andavam meio paradas. Jose Aldo já havia limpado a categoria dos peso pena e suas lutas já andavam meio paradas, lutando abaixo do que apresentava na época do WEC – quando inclusive foi eleito lutador do ano de 2013 – e sendo um expoente do “bom garoto”, promovendo suas lutas com respeito aos adversários, algo que nem sempre garante uma boa venda de PPV ou mesmo popularidade entre os fãs.
Connor McGregor encontrou na categoria e no evento a melhor vitrine para suas asneiras e bobagens, tendo como alvo o campeão da categoria, que além de não dominar a lingua inglesa, não parece responder na mesma moeda.
O duende irlandes fez até o momento cinco lutas no UFC, onde saiu vitorioso de todas. Vale ressaltar que ele foi premiado em quatro dessas lutas com o prêmio de “performance da noite”, mas nenhum destes adversários fazia parte do top 5 da categoria. NENHUM. Em comparação, Ronaldo “Jacaré” já enfrentou dois tops da sua categoria e ainda aguarda a chance de disputar o cinturão. O caso de Connor McGregor me lembra muito o caso de Bethe Correa, que também terá a oportunidade de enfrentar a respectiva campeã em sua categoria sem necessariamente ter lutado contra as melhores adversárias. Me parece que de uns tempos pra cá o UFC parece necessitar de alguns “bullys” para promover o evento, esquecendo ótimos lutadores que além de exemplo dentro do octagon eram exemplo fora por seu respeito ao adversário, caso do melhor lutador canadense de todos os tempo, George Saint Pierre, ou mesmo de Anderson Silva, que apenas reagia quando provocado, como no caso de outro idiota que parece ter estudado na mesma escola de cretinice de McGregor, o Sr. Sonnen. Algumas pessoas parecem que nasceram para mais falar do que de fato fazer. Sonnen desafiou, e foi finalizado por Anderson Silva na primeira luta e surrado feito muleque na segunda. Eu torço muito por Bethe Correa, mas não concordo com as declarações que ela fez para promover a luta e a chance de disputar o cinturão. Eu acho que sim, provocar é algo possível de se fazer sem necessariamente ofender. Quem não lembra do cretino Sonnen falando que comeria churrasco na casa do Anderson Silva e ainda daria um tapa na bunda da mulher dele? OK, para algumas pessoas um “tapa na bunda” pode ser apenas uma força de expressão do quão a vontade o merda se sente no ambiente em que esta, abusando da hospitalidade e usando de desrespeito para com os seus anfitriões. Bethe Correa infelizmente fez algumas declarações envolvendo um possível desejo de suicídio por parte de sua adversária depois da surra que ela tentará aplicar em sua adversária – infelizmente ela desconhecia o fato de que o pai de Ronda Rousey cometeu suicidio e isso gerou uma onda nada positiva para a lutadora brasileira, causando ainda mais rusga com a atual campeã – e demais ofensas que num âmbito mais “brasileiro” poderiam ser contadas como “apenas provocação saudável”. Todos sabemos que mexer com o psicológico de alguém pode surtir ótimos efeitos, eu faço isso direto narrando minhas histórias no RPG que jogo ou mesmo na descrição das minhas músicas, eu preciso de alguma forma mexer com a pessoa com quem estou interagindo. O problema é que o “trash talk”, termo que é usado para definir esse tipo de “promoção de luta” é normalmente pesado, levando a provocação para o lado pessoal, ofendendo famílias, ofendendo até mesmo um país, como na estúpida declaração que Chael Sonnen fez antes de lutar contra Anderson Silva – “Escolhi o meio de comunicação cuidadosamente para falar do Brasil. Fui para a internet. Se tivesse a mais remota ideia de que existem computadores no Brasil, não teria feito isso” – enfim, fato é que o trash talk funciona para o evento que vê nisso uma forma de criar uma expectativa em cima do combate. Voltando para Connor McGregor, ele viu nessa sua atitude infantil e ridicula a chance de pular alguns degrais, alcançar o top da categoria no UFC e ter a chance de lutar pelo cinturão. Não, eu não acho Connor McGregor um lutador ruim, muito pelo contrário, me irrita o fato dele ser tão bom e precisar utilizar de trash talk para se fazer notar. Me frustra pensar que hoje em dia no UFC é mais fácil ser um idiota que fala merda do que de fato ser um lutador diferenciado e ter chance. Para quem não lembra, o UFC já foi muito mais “tosco”, com lutadores que pareciam ter saido de um bar indo pra dentro do octagon, sem luvas e com poucas regras, socando um ao outro em troca de alguns trocados, pois no começo o UFC não era essa máquina gigantesca, que segundo alguns lutadores, ainda não paga tão bem assim, mas o fato é que o UFC passou por uma profissionalização, com lutadores melhor preparados, vindos de academias de MMA, com acessor de imprensa, ensaios fotográficos profissionais, bons contratos de patrocinio. Por que ainda precisamos ver o idiota se sobressair aos esforçados?
Bom para o UFC, ruim para os fãs e praticantes de artes marciais.

BGood for the UFC, bad for the fans and martial artists.