Listen to… Aphex Twin

by AlonEvil

Como classificar o inclassificável? Chega a ser meio Lovecraftiano isso, mas Richard D. James, mais conhecido como Aphex Twin, mas também como AFX, Bradley Strider, Caustic Window, Gak, Polygon Window, Power Pill, Q-Chastic entre outros pseudonimos ainda secretos, é como o universo de H. P Lovecraft. Enquanto no universo de Lovecraft tudo é “indescritível” e “inimaginável”, as linhas de criação de Aphex Twin e seus inúmeros projetos paralelos segue o mesmo padrão. Muitas vezes baseadas apenas em ruídos e e batidas que não seguem qualquer tipo de padrão, Aphex Twin sempre foi considerado pela crítica inglesa como um música a parte, longe do mainstream mas interagindo com ele através de influencia, pois mesmo em meio a tantos ruídos e dissonâncias, ele criava melodias belíssimas, buscando singularidade de timbres através do uso de sintetizadores, muitos destes sintetizadores criados por ele mesmo.

Avesso a entrevistas e com um estilo de vida meio singular – afinal, tu conhece alguém que comprou uma agencia de banco e fez do principal cofre seu quarto/estúdio? Pois é, nem eu… – Aphex Twin é um músico multi premiado e que influenciou desde músicos e produtores eletrônicos, The Prodigy sendo fã declarado do trabalho do irlandês, até mesmo expoentes do rock e metal, como Radiohead e Dream Theater.

Abaixo vou linkar dois vídeos de épocas distintas da carreira de Aphex Twin:

Come to daddy – vídeo que me fez perder o sono quando assisti pela primeira vez na MTV, me arrependi muito de não ter gravado… pois é, nem sempre tivemos Youtube…

Minipops – música do trabalho mais recente de Aphex Twin, o album “Syro” ganhou inúmeros prêmios, incluindo o Grammy de melhor trabalho de música eletrônica de 2015

Recomendo não ouvir Aphex Twin como demais artistas de música eletrônica… Sua música não é aquela para um aquecimento antes da balada, como podem ser The Prodigy ou Chemical Brothers, tão pouco chega a ser uma música ambiente para momentos de relaxamento, por mais que possua belíssimas melodias e mesmo trabalhos em que não há presença de batidas ou elementos mais agressivos. Aphex Twin deve ser digerido aos poucos, doses homeopáticas e constantes…

How to classify the unclassifiable? It gets to be kind of Lovecraftian this, but Richard D. James, better known as Aphex Twin, but also as AFX, Bradley Strider, Caustic Window, Gak, Polygon Window, Power Pill, Q-Chastic among other pseudonyms that are still secret, is as the universe of H. P Lovecraft. While in Lovecraft’s universe everything is “indescribable” and “unimaginable”, the lines of creation that Aphex Twin uses follows the same pattern of unclassifiable. Often based only on noise and beats that do not follow any kind of pattern, Aphex Twin has always been considered by English critics as a musician aside, away from the mainstream but interacting with it through influence, because even in the midst of so many noises and dissonances, he created beautiful melodies, seeking uniqueness of timbres through the use of synthesizers, many of these synthesizers created by himself.

Averse to interviews and a means singular lifestyle – after all, you know someone who bought a bank agency and made the main safe your room / studio? Yeah, me neither … – Aphex Twin is a multi award-winning musician and influenced from musicians and electronics producers, The Prodigy being declared fan of Irish labor, even rock and metal exponents such as Radiohead and Dream Theater.

Do not recommend listening to Aphex Twin as if listening to other artists of electronic music … His music is the one for a warm up before the ballad, as can be The Prodigy or Chemical Brothers, nor come as a background music for moments of relaxation , however that has beautiful melodies and even works where there is no presence of beats or more harsh elements. Aphex Twin to be digested slowly, homeopathic doses and constant …

Advertisements