Inside my…

Rhymes with vibes

Month: June, 2015

Vamos assistir Handebol? Let’s watch Handball?

Somos os atuais campeões mundiais! =)

Pois é, pelo menos no Handebol feminino, somos os atuais campeões mundiais, temos a melhor jogadora do mundo e a seleção masculina tem boas chances de ir para as fases finais – atenção, FASES finais, não para a final, que segue sendo de domínio alemão e dinamarques – do campeonato deste ano.

Mas porra Marcus, por que handebol? Por que não futebol?

Bom, ainda estamos meio devagar no futebol americano, o esporte segue crescendo no Brasil, inclusive conseguindo a façanha de se classificar para o campeonato mundial, que será transmitido pela ESPN. Além disso, Luis Cláudio, filho do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, montou uma liga a parte das competições oficiais e que promete manter as equipes ocupadas e ajudar a dar visibilidade para o esporte. Hey hey! Vermelho 26, Vermelho 26, VAI VAI!!!

Marcus, FUTEBOL, com os pés!

Bom, meu Grêmio ganhou no último sábado, estamos próximos dos líderes e quem sabe da pra ficar no G4…

CARALHO MARCUS, SELEÇÃO!

Bom… não seria justo analisar sem dizer que o Dunga conseguiu fazer alguns milagres… Ele supervalorizou alguns jogadores que não, não deveria sequer se convocados para serem reservas, deu munição para os seus eternos críticos e deu merecidas férias para o Neymar…  Vivemos de lembranças de um passado não muito distante, de quando tínhamos uma seleção cheia de craques, recheada de R’s (Ronaldos, Rivaldo), Kaká… A seleção era, minimamente falando, conhecida. Pergunta hoje na parada de ônibus se alguém sabe a escalação da seleção brasileira atual… Jogares que sim, precisam de experiencia, precisam ficar conhecidos da torcida, precisam jogar juntos para quem sabe formar uma equipe, e não um amontoado de um jogadores medianos que se encontram uma vez por trimestre pra ganhar algumas milhas no programa de fidelidade das empresas aéreas e fazer festa com algumas torcedoras mais assanhadas.

Esta atual seleção consegue me parecer pior e ainda mais perdida que a que tivemos de engolir na Copa do Mundo, quando dependíamos de Hulk “Cadillac” (sua bunda era mais divulgada que seus gols pela seleção…), Fred “ator global” (com quedas cinematográficas dentro da grande área em busca de um pênalti salvador) e Jô “arroz de festa” (quem nunca viu alguma notícia sobre ele curtindo a noite adoidado?). Tínhamos a torcida mas não tínhamos o time… Num destes programas esportivos ouvi o que pode ser a melhor definição desta seleção: Um Shakhtar Donetsk que resolveu investir no mercado chinês e teve a sorte de ter um Neymar por dois jogos.

Mas até onde ter o Neymar é realmente vantagem? Sendo investigado na Espanha, infelizmente ele perdeu o controle e só não é culpado pela imprensa “especializada” por que ele é o único jogador deste amontoado de gente que consegue fazer alguma coisa quando não precisa se preocupa com o extra campo. FATO.

Não fomos para a final por que não merecemos estar na final. Tratamos a bola com desdem e asco, e ela retribui da mesma forma. Jogamos um futebol mediano que talvez nem mesmo no campeonato brasileiro teríamos chance de figurar no G4. Desculpe, mas eu confio no Thiago, atual goleiro titular do Grêmio, para parar o Firmino (alguém sábia da existência dele antes da seleção? Toda sorte do mundo para a torcida do Liverpool…).

E nem preciso me dar o trabalho de falar de uma zaga que conta com uma bomba relógio,certo? Chama a SWAT pra dar um jeito no Thiago Silva, que consegue EXPLODIR SEMPRE em momentos decisivos. Disseram que ele poderia jogar basquete, mas acho que até mesmo um vôlei já rola, ele seria ótimo no bloqueio.

Demais setores do amontoado são quase tão frustrantes quanto uma cerveja quente…

Fato é que a Copa America acabou, nossos amados jogadores que atuam na Europa finalmente terão suas merecidas férias, os que atuam no futebol nacional  voltam para a realidade do campeonato brasileiro, e o Dunga vai ter de desligar a TV por pelo menos as próximas semanas em que ainda houver Copa America, por que inevitavelmente alguém vai fazer algum comentário infeliz sobre a participação tosca que tivemos.

Vida que segue.

Ah! Próximo jogo da seleção feminina de Handebol é no Pan-Americano, que acontece agora em julho, a partir de 10 de julho. Dia 04 de julho temos jogos pelo torneio Touchdown.

US US US US US US US US US US US US US US

We are the current world champions! =)

Well, at least in women’s handball, are the current world champions, we have the best player in the world and the men’s team has a good chance of going to the finals – attention, final STAGES, not the end, that remains domain German and Danish – the championship this year.

But damn Marcus, why handball? Why not football?

Well, we’re still a little slow in football, the sport continues to grow in Brazil, including achieving the feat of qualifying for the world championship, which will be broadcast on ESPN. In addition, Luis Claudio, son of former President Luis Inacio Lula da Silva, set up a league part of the official competitions and promises to keep busy teams and help give visibility to the sport. Hey hey! Red 26, Red 26, GO GO !!!

Marcus, FOOTBALL, with your feet!

Well, my Grêmio won last Saturday, we are close to the leaders and perhaps to stay on the G4 …

FUCK OFF, TALKS ABOUT SOCCER BRAZILIAN SELECTION!

Well … it would not be fair to analyze without saying that Dunga has managed to make some miracles … It overvalued some players who do not, should not even be called upon to be reserves, gave ammunition to his critics and gave eternal deserved vacation for Neymar … We live in memories of a not too distant past, when we had a full selection of star players, full of R’s (Ronaldos, Rivaldo), Kaka … The selection was minimally speaking, well known. Question today at the bus stop if anyone knows the escalation of the current Brazilian team play … yes, need more experience, need to be known by the fans, need to play together to maybe form a team, not a bunch of players median that meet once per quarter to gain some miles on the frequent flyer program of the airline and party with some more excitedly cheerleaders.

This current selection can seem worse and even more lost that we had to swallow in the World Cup when we depended on Hulk “Cadillac” (his ass was further exposed that their goals …), Fred “Hollywood” (with cinematographic falls inside the area in search of a savior penalty) and Jo “party rice” (who never saw any news about him enjoying parties?). We had the crowd but did not have the squad …In one of these sport programms i heard what may be the best definition of this squad: A Shakhtar Donetsk who decided to invest in the Chinese market and was fortunate to have a Neymar for two games.

But how far have Neymar is really advantage? Being investigated in Spain, unfortunately he lost control and it’s just not guilty by the press “specialized” because he is the only player this jumble of people who can do something when you do not have to worry about the extra field. FACT.

We were not for the final cuz we not deserve to be in the final. We treat the ball with disdain and disgust, and she returns the same way. We play an average football that perhaps not even in the Brazilian championship would have chance to appear in G4. Sorry, but I trust in Thiago, current goalkeeper of Grêmio, my team in Brazil, to stop the Firmino (anyone knew him before the selection for Brazil Squad? All luck in the world for fans of Liverpool …).

And not need to give me the talk about work of a defense that has a time bomb, right? Calls for SWAT to fix the Thiago Silva, who can ALWAYS EXPLODE at decisive moments. They said he could play basketball, but I think even a volleyball rolls already, it would be great in blocking.

Other sectors of the heap are almost as frustrating as a warm beer …

Fact is that the Copa America is over, our beloved players who play in Europe will finally have deserved vacation, those working in the national football back to the reality of the Brazilian championship, and Dunga will have to turn off the TV for at least the next few weeks where there is still Copa America, why inevitably someone will make a comment unhappy about the rough participation we had.

Life goes on.

Ah! Next match of the women’s team handball is the Pan-American, what happens now in July from July 10. July 04 we have games for Touchdown tournament.

Advertisements

The rain outside sing a song

The rain outside sing a song
About my past, about what’s going wrong
Some bad feelings came to say hello
Maybe still have some tears to go
Maybe it’s just because I didn’t lived my punishment
Maybe it’s because my demons live feeded by my sins
Karma always by my side
My worst ally
The rain never have been so strong
Could somebody help me with this sad song?

Listen to… Aphex Twin

Como classificar o inclassificável? Chega a ser meio Lovecraftiano isso, mas Richard D. James, mais conhecido como Aphex Twin, mas também como AFX, Bradley Strider, Caustic Window, Gak, Polygon Window, Power Pill, Q-Chastic entre outros pseudonimos ainda secretos, é como o universo de H. P Lovecraft. Enquanto no universo de Lovecraft tudo é “indescritível” e “inimaginável”, as linhas de criação de Aphex Twin e seus inúmeros projetos paralelos segue o mesmo padrão. Muitas vezes baseadas apenas em ruídos e e batidas que não seguem qualquer tipo de padrão, Aphex Twin sempre foi considerado pela crítica inglesa como um música a parte, longe do mainstream mas interagindo com ele através de influencia, pois mesmo em meio a tantos ruídos e dissonâncias, ele criava melodias belíssimas, buscando singularidade de timbres através do uso de sintetizadores, muitos destes sintetizadores criados por ele mesmo.

Avesso a entrevistas e com um estilo de vida meio singular – afinal, tu conhece alguém que comprou uma agencia de banco e fez do principal cofre seu quarto/estúdio? Pois é, nem eu… – Aphex Twin é um músico multi premiado e que influenciou desde músicos e produtores eletrônicos, The Prodigy sendo fã declarado do trabalho do irlandês, até mesmo expoentes do rock e metal, como Radiohead e Dream Theater.

Abaixo vou linkar dois vídeos de épocas distintas da carreira de Aphex Twin:

Come to daddy – vídeo que me fez perder o sono quando assisti pela primeira vez na MTV, me arrependi muito de não ter gravado… pois é, nem sempre tivemos Youtube…

Minipops – música do trabalho mais recente de Aphex Twin, o album “Syro” ganhou inúmeros prêmios, incluindo o Grammy de melhor trabalho de música eletrônica de 2015

Recomendo não ouvir Aphex Twin como demais artistas de música eletrônica… Sua música não é aquela para um aquecimento antes da balada, como podem ser The Prodigy ou Chemical Brothers, tão pouco chega a ser uma música ambiente para momentos de relaxamento, por mais que possua belíssimas melodias e mesmo trabalhos em que não há presença de batidas ou elementos mais agressivos. Aphex Twin deve ser digerido aos poucos, doses homeopáticas e constantes…

How to classify the unclassifiable? It gets to be kind of Lovecraftian this, but Richard D. James, better known as Aphex Twin, but also as AFX, Bradley Strider, Caustic Window, Gak, Polygon Window, Power Pill, Q-Chastic among other pseudonyms that are still secret, is as the universe of H. P Lovecraft. While in Lovecraft’s universe everything is “indescribable” and “unimaginable”, the lines of creation that Aphex Twin uses follows the same pattern of unclassifiable. Often based only on noise and beats that do not follow any kind of pattern, Aphex Twin has always been considered by English critics as a musician aside, away from the mainstream but interacting with it through influence, because even in the midst of so many noises and dissonances, he created beautiful melodies, seeking uniqueness of timbres through the use of synthesizers, many of these synthesizers created by himself.

Averse to interviews and a means singular lifestyle – after all, you know someone who bought a bank agency and made the main safe your room / studio? Yeah, me neither … – Aphex Twin is a multi award-winning musician and influenced from musicians and electronics producers, The Prodigy being declared fan of Irish labor, even rock and metal exponents such as Radiohead and Dream Theater.

Do not recommend listening to Aphex Twin as if listening to other artists of electronic music … His music is the one for a warm up before the ballad, as can be The Prodigy or Chemical Brothers, nor come as a background music for moments of relaxation , however that has beautiful melodies and even works where there is no presence of beats or more harsh elements. Aphex Twin to be digested slowly, homeopathic doses and constant …

Leo Moura e o caso da estupidez do fanatismo…

Como bom profissional, eu ponderaria por alguns instantes antes de trocar a empresa na qual estou trabalhando por uma empresa concorrente… OK, irei explicar…

Trabalhei por alguns anos numa livraria de grande porte, na época uma referencia no mercado no quesito atendimento e estoque. Não era a líder em número de lojas, mas era sim referencia no seu seguimento. Num determinado momento da minha carreira, vislumbrei um futuro estagnado, sem possibilidade de crescimento e desejando desafios. Eis que surge uma oportunidade em uma outra rede de livrarias, sem o mesmo porte, definitivamente sem a mesma referencia no atendimento ou mesmo no estoque. Mas vi ali a oportunidade de tentar algo novo, quem sabe levar o know-how adquirido na livraria em que trabalhei por mais de dois anos, até mesmo quem sabe vislumbrando uma possibilidade de me tornar gerente e alavancar a qualidade desta livraria conhecida por ser direcionada ao público C e D… Não era uma mudança para uma concorrente direta, certo?! Legal… fui e me fudi, a ilusão durou uns dois dias, tempo suficiente para ver a merda que fiz na minha vida e que duas máximas – “em time que esta ganhando não se mexe” e “sonhar não custa nada” não caminham juntas. Enquanto a outra livraria sempre apostou em atendimento, estoque diferenciado, treinamentos, clientes diferenciados para ganhos diferenciados, a outra rede estava bem tranquila sendo a terceira maior da região, com funcionários relapsos, estoque tosco e mal cuidado… Eles, dessa segunda livraria em questão, não queriam um cara como eu. Eu representava uma ameaça, afinal, eu queria mudar o que estava funcionando, eu queria propor novos desafios, e caso eu me tornasse gerente, obviamente muitas cabeças iriam rolar… mas eu rolei primeiro… Trabalhei dois dias e quase entrei em surto…

Pois bem, essa ladainha e analise profissional toda sobre minha pessoa para chegar no caso que esta mexendo com o futebol nacional – apesar de eu achar que deveria mexer apenas com o carioca, que esta mal das pernas a tal ponto que só consegue chamar a atenção da mídia com notícias como esta que irei destacar agora… – pois trata da “honra e confiança” de toda uma “nação” depositada em um “ex” ídolo: Leo Moura, um dos poucos jogadores a representar tão bem a devoção a um único clube nos últimos anos, pra ser mais exato, na última década. Hey hey, antes de se indignar, sei que ele atuou por outros clubes, inclusive pelo maior rival do Flamengo, o Vasco, onde fez trinta partidas. Pelo Flamengo, foram dez anos… dez anos de dedicação num clube onde ele passou a ser a imagem desse clube. Um lateral muito esforçado, boa visão de jogo, pra muitos ele teve o azar de estar se destacando numa época em que a seleção brasileira ainda dispunha de Cafu e Gilberto Silva… Não concordo, sempre achei ele um jogador com uma ótima regularidade, mas nada acima da média para ir para seleção.. mas OK, não é sobre isso o texto, então voltemos ao que realmente importa.

Leo Moura dedicou uma década de sua carreira a um clube que o abraçou, e ele em contra partida, ajudou a conquistar muitos títulos, incluindo Copa do Brasil de 2006 e 2013 e um campeonato brasileiro. Hey, poucos jogadores podem carregar tantas faixas assim no período de uma década, que digam os jogadores do meu amado Grêmio…

Com 36 anos e 500 partidas realizadas pelo rubro negro, parecia que o fim de carreira se aproximava para Leo Moura, afinal de contas, o Flamengo não dava sinais de renovação de contrato e o time passava por uma certa reformulação… Logo, Leo Moura viu a oportunidade de realizar um antigo sonho: levar sua família para uma condição ainda melhor de vida, em um pais melhor desenvolvido, mais seguro e que ele mesmo pudesse passar a se desenvolver como pessoa. Veio a oportunidade de ir para os EUA, e com o fim do contrato com o Flamengo, Leo Moura se despediu da nação rubro negra em fevereiro de 2015…

Mas parece que a adaptação ao futebol norte americano e o estilo de vida da cidade que ele escolheu para viver não estavam lhe agrandando, e numa manobra que parecia mais uma tentativa kamikaze de marketing agressivo e sem sentido, ele foi abordado pelo Vasco da Gama, maior rival do Flamengo, para voltar ao Rio de Janeiro, poder curtir novamente a areia da praia, os tão falados 40 graus da “cidade maravilhosa”…

Guardadas as devidas proporções… mas voltem ao inicio do texto onde falo de minha necessidade de mudança na carreira, procurando novos desafios… Sai de uma referencia no mercado – e não, isso nem de longe se aplica ao Flamengo de HOJE, que fique claro, de HOJE – para uma oportunidade de tentar algo novo e crescer junto com a empresa – o Vasco hoje esta na última colocação do campeonato brasileiro, o elenco esta mais caótico e desorganizado que festival de punk rock das antigas e parece estar apostando tudo em possíveis contratações impossíveis, tais como o próprio Leo Moura e Ronaldinho Gaúcho… -que foi um PUTA tiro no pé… Eu durei apenas dois dias na consequência do meu erro… Leo Moura durou menos de 24hs…

Pior que essa palhaçada, que inclui o odiado/amado Eurico Miranda falando de modo inflamado sobre o jogador, incluindo frases do tipo “Ele encheu o saco pra vir…”, é a reação de alguns torcedores do Flamengo… Sim, eu tenho minha implicância com a urubuzada, depois que me mudei pra Brasilia tive contato com os mais diversos tipos de torcedores e os flamenguistas daqui, em sua imensa maioria, agem como fanáticos cegos para a realidade de mercado, realidade tática de seu time e ainda pior, de seu momento no futebol hoje… mas, mesmo assim… as reações sobre a possível decisão do ídolo deles, que foi sim deixado de lado pela atual diretoria, em voltar a jogar no Brasil e ter a oportunidade, por mais suicida que fosse, de jogar no maior rival, num clube em frangalhos e bem encaminhado para seguir em ultimo nesse primeiro turno, foi encarada como traição… PORRA! Por que?! Sério, POR QUE o cara é traíra? Romário não jogou pelo Fluminense e pelo Vasco além do Flamengo? Idem para Renato Gaúcho? Edmundo? Juninho Pernambucano? Por que crucificar um cara de 36 anos, dez dedicados a um único clube, de tentar a sorte no rival que esta estatelado no chão, praticamente moribundo?

Não, eu não tenho a resposta… e mesmo que tivesse, ela não seria nada agradável de ser publicada…

A cold morning

A cold morning
alone, resolute
by far one chant
brooding, apprehensive
Your low tone, melancholy however strong
freezes my soul, proves me wrong
live it is not just when the sun burns our skin
when birds sing cheerful scales
live also is when the cold consumes your existence
when to quit seems to be the only option, the only chance
when gray is the only tone
when you’re alone, without even the company of your shade

You are a Karma

Arrogance
Fueled by ignorance
Supposed certainty of superiority
You feed your ego through of your mediocrity
Hang your words
Your words rape another’s will
Consume any possibility to feel sorry for you
You are a Karma
The worst of the dramas

Arrogância
alimentada pela ignorância
suposta certeza de superioridade
tu alimenta teu ego através da tua mediocridade
Enforque tuas palavras
tuas palavras estupram a vontade alheia
consomem toda e qualquer possibilidade de sentir pena de você
Tu és um Karma
O pior dos dramas

smiling, walking and murmuring

Maybe it’s too late
maybe it’s over and no one see the end
the reality is
we already dead and have nothing left
zombies at neighborhood
smiling, walking and murmuring
about the unhappy choices that they make
angry, hungry
collapsing, shaking, choking
surviving only through another life to drain

Talvez seja tarde demais
Talvez tenha acabado e ninguém veja o fim
a realidade é
que nós já estamos mortos e não temos mais nada
zumbis na vizinhança
sorrindo, andando e murmurando
sobre as escolhas infelizes que eles fazem
irritado, com fome
colapso, agitação, asfixia
sobrevivendo apenas através de uma outra vida para drenar

O mal que Breaking Bad me fez…

36442_breaking_badAlgumas vezes me pego pensando… “E se eu tivesse feito Química ao invés de Adm…será que eu poderia ser um Walter White?”

Primeiramente, a resposta, graças a Deus, é não… Não tenho nenhum diagnóstico de câncer e como parei de fumar, espero que siga sem esse inconveniente na minha vida. Tão pouco são tão genioso quanto o personagem principal da série para ter doutorado em um assunto tão complexo.

Eu me lembro bem que quando Breaking Bad surgiu em 2008, eu estava trabalhando numa livraria, onde tinha a mais farta e completa variedade de seres humanos possível: nerds, geeks, cults, pseudo cults, cools, fake cools, revoltados, truckers… e veio de um fake cool o comentário que me fez ficar desinteressado : é muito emotivo.

Eu estava alucinando com Lost, na época eu estava fissurado em física quântica, viagens no tempo e tentando replicar os apelidos que o Sawyer da ilha maldita dava para cada um dos personagens com quem ele interagia. Lost acabou e com ele começou meu luto por séries, pois absolutamente nada parecia me “pegar de jeito” como aquela série com mais de dez personagens principais, ideias revolucionarias e final corajoso – sim, eu gostei do final.

Um dia, lendo alguns sites que sigo com assuntos nerds, vi uma comoção sobre o fim do Breaking Bad, alguns dizendo que ali acabava a série mais corajosa e bem feita para TV em todos os tempos. Porra, como eu deixei isso passar? Assim como assistir Lost hoje, sem todo o hype da época de fazer conspirações, esperar os episódios serem liberados nos sites de download, rever toda uma temporada antes de iniciar a outra, ver Breaking Bad hoje seria muito chato…ou não? Enfim, segui dando um tempo para a série… Antes de começar com ela de fato, me dediquei a outra série que deixei de lado no começo por não gostar de algumas atuações e ritmo – The Walking Dead. Sim, talvez eu seja idiota, ou talvez que só precise do incentivo certo para começar a me dedicar a alguma coisa nova.

Quando The Walking Dead começou a ficar depressivo demais, com todo mundo se fudendo e sendo fudido, pensei que seria melhor dar um tempo, ainda mais que minha própria vida estava meio de pernas pro ar, principalmente a parte profissional. Eu precisava de algo que me inspirasse, me tirasse da “zona morta” em que me pus por mais uma tentativa frustrada de me encontrar num emprego que parecia decente e com pessoas inspiradoras… Pois é, as vezes eu sou um idiota sonhador que se enforca com as próprias mãos, mas isso fica pra um post futuro…

Vi O Demolidor – melhor trabalho da Marvel…sim, melhor que Vingadores…Vingadores 2… – e comecei a ver o tal Returned, mas como tinha poucos episódios lançados, eu e minha namorada queríamos apostar em algo que pudéssemos ver em sequencia nas tardes de domingo… E vimos o tal do Breaking Bad que eu tanto posterguei…

Acho que vimos pelo menos uns cinco episódios numa tarde. O ritmo era bom, as músicas, os personagens, o crescimento da história, personagens viáveis…CARALHO, era PERFEITO DEMAIS! Pra quem ainda não sabe, eu sou narrador de RPG, e via ali tantos personagens que eu adoraria ter feito, histórias que eu poderia ter criado…

O final da primeira temporada é insano, com um Sr. White assumindo sua personalidade “do mal”, negociando com traficantes insanos que matam pessoas na porrada, explodindo coisas, sendo duro com seu colega de “cozinha”…

A cada temporada somos apresentados a personagens que são complexos mas possíveis, brutais e viscerais, inspiradores e anti heróis que torcemos que sejam vencedores, por que no final, ninguém esta a salvo de ter cometido um erro…

O final é sim perfeito, como já era de se esperar de uma série que não tinha rabo preso com ninguém – Lost e Arquivo X tiveram forte influência de seus fans na condução da série e inclusive nos seus respectivos finais – era totalmente original e com praticamente todas as pontas bem amarradas e conduzidas de modo perfeito. Final feliz é uma questão de ponto de vista e o que ocorre com Breaking Bad é isso, ele tem um final…e ponto! É um final, não há muito o que se perguntar depois. A série derivada de Breaking Bad, Better Call Saul, se passa na realidade antes da “série mãe”, o que comprova que Breaking Bad acabou como deveria, sem possibilidade ou mesmo necessidade de uma continuação. Walter White é um mostro, como ele mesmo assume na última temporada, por ser algo que todos somos: humano.

Uma noticia como um câncer poderia por um fim na vida de alguém sem perspectivas, com uma vida pacata e sem pretensões maiores que simplesmente pagar as contas que possui. Mas Walter White não é qualquer um… ele queria a chance de viver, de finalmente se sentir vivo, realizado, deixar algo, um marco. Seja na série ou fora dela, ele conseguiu.

Ah, claro… e sobre o mal que me fez? Bom, até Breaking Bad eu só desejava ser levado por Ets (Arquivo X), cair numa ilha quando a unica coisa que poderia me acontecer era morrer mas milagrosamente estou vivo (Lost), ficar cego e ser treinado por outro cego para lutar sem parecer cego (Demolidor) ou ter ligação com antigos espíritos xamanísticos norte americanos (Millenium) ou ainda me tornar um médico sociopata especialista em diagnósticos (House)… De tudo, me tornar químico é a mais viável…

Alguém topa comprar um trailer?! =)